Anti-Comics

Desconstruindo os Super-Heróis

O espetáculo nasceu de uma coprodução internacional entre a Teatro COMMUNE de São Paulo e Centro Cultural Maria Castaña, de Córdoba, Argentina, com recursos do Instituto Iberescena (Espanha).

O espetáculo é uma divertida paródia dos super-heróis (Superman, Batman, Mulher Maravilha) que questiona seus superpoderes em situações de vulnerabilidade, com os quadros O Evangelho segundo o Super-homem, A Vida Sexual dos Morcegos e A Festa do Pijama, da premiada escritora de Córdoba, Argentina, Sonia Daniel.

Em A vida sexual dos morcegos vemos Batman e Robin envelhecidos fogem de Gotham City e se reencontram na periferia de uma grande cidade tentando entender o que foi para eles a experiência como super-heróis. Esse encontro é pautado pela mítica atração sexual entre os dois, mas uma reviravolta os separa novamente.

Já em Festa do Pijama, a Princesa Diana, alterego da Mulher Maravilha, revela, após ser presa por prostituição, sua origem de deusa mítica, mas confessa sua total decepção por Steve Trevor e pela sua condição símbolo sexual que resultou em um verdadeiro fracasso em sua experiência de vida.

O terceiro quadro, O Evangelho Segundo o Super Homem nasce de uma teoria circulante de que o Super Homem seria um personagem messiânico que tem muitos pontos em comum com Jesus Cristo. No começo o Super Homem não se reconhece como tal, mas ao tomar consciência de sua condição como Messias, vive um Apocalipse pessoal que gera uma mudança na história de toda a humanidade. A peça faz referência ao fato de que o Super Homem foi criado por dois judeus ortodoxos (Jerry Sieguel e Joe Shuster) em 1928, que revolucionaram o conceito dos super-heróis (que antes eram pessoas comuns), mas nunca foram reconhecidos, nem receberam um centavo em vida pela sua criação.

A autora Sonia Daniel criou uma paródia dos super-heróis norte-americanos, baseada-nos das HQs dos anos 20 a 40 e nas séries de televisão dos anos 60 a 70, para pôr xeque mitos que integram nosso imaginário (reproduzidos nos anos 60/70 pela Tevê) e refletir sobre o papel do desses heróis na América do Sul.

A peça traduz uma visão latino-americana (e paródica) desses deuses ou super-heróis americanos, que representam e simbolizam o establishment, o modo de vida (way of life) e todo o poder emanado pelos EUA, em especial nos últimos 40 anos (durante a guerra fria).

A experiência de trabalhar com personagens icônicos com humor irônico, com cores hilariantes coloca em consideração as construções que o imaginário coletivo tem desses personagens. A possibilidade desses textos de pôr em xeque seus superpoderes e colocá-los em situações de vulnerabilidade nos leva a pensar sobre teorias filosóficas relacionadas com O mito do super-herói, define Augusto Marin.

O desenho de luz fica a cargo de Andre Lemes, os vídeos por Jamil Kubruk e a sonoplastia e efeitos musicais por Sérvulo Augusto

Proposta de Encenação
A encenação do espetáculo cria uma linguagem visual que mistura imagens dos super-heróis de quadrinhos dos anos 60/70, projetadas num telão situado no fundo do palco com a interpretação dos atores, como se o espectador estivesse em um cinema dentro de um teatro.

O espetáculo começa com a apresentação dos atores como se fosse um filme, mostrando qual intérprete faz qual super-heróis, criando- se uma relação meta teatral e de ficção com o espectador. Ao final, os atores executam uma canção que trata do tema da peça e a imagem no telão mostram os atores que fazem os heróis saindo do teatro.

UMA COPRODUÇÃO INTERNACIONAL BRASIL-ARGENTINA

Os diretores artísticos do projeto Anti-Comics - Desconstruindo os Super-Heróis é uma coprodução internacional com recursos do IBSERSCENA, coordenada por: Augusto Marin, do Teatro Commune, e Sérgio Osses, professor do Centro Maria Castaña, como codiretor. Os dois grupos se dedicam à pedagogia teatral e à formação de jovens atores.

Em Campinas, Augusto Marin fará o papel de Batman e de um dos pais judeus Super-homem; Henrique Taubaté, um grande comediante brasileiro, fará Robin e o outro pai do Super-homem, Michelle Gabriel faz a Mulher-Maravilha com crise existencial e o super-homem em crise será Cesar Serrano.
Anti-Comics
Anti-Comics
Anti-Comics
Anti-Comics
Anti-Comics
FICHA TÉCNICA

ANTI-COMICS - DESCONSTRUINDO OS SUPER-HERÓIS

Texto: Sonia Daniel (Argentina)
Tradução: Danielle Lopes e Pilar Lopes
Direção: Augusto Marin
Diretor Assistente: Sérgio Osses (Argentina)

Elenco:
Henrique Taubaté Lisboa..................... Robin e Joe Shuster (criador do Super Homem)
Augusto Marin ..................................... Batman e Jerry Sieguel (criador do Homem)
Wilma de Souza................................... Mulher Maravilha e Miss Doonner
Cesar Serrano...................................... Super Homem
Rose Araujo.......................................... Luisa Lane (namorada do Super Homem)
Miriam Lima.......................................... Prostituta
George Germino...................................Leitor das Rubricas

Operação de luz: Agnaldo Nicoletti
Operação de Som e montagem: Paulo Dantas
Operação de Vídeo: Eder Leme

Desenho de Luz: André Lemes
Sonoplastia: Sérvulo Augusto
Criação e Projeção de Vídeos: Jamil Kubruk e Miguel Pixes
Desenhos e Cartuns: Eloar Guazzelli
Figurinos: Augusto Marin
Coordenação de produção: Augusto Marin e Michelle Gabriel
Administração: Silvia Luvizotto
Montagem e contra regra: Manoel Cabral
Realização: COMMUNE
Anti-Comics
Anti-Comics